CARLOS SANTOS ON LINE

Blog jornalístico editado e postado no Rio Grande do Norte (Brasil)

Minha foto
Nome:
Local: Mossoró, RN, Brazil

Jornalista, atuando profissionalmente há mais de 21 anos, com experiência em jornal impresso, TV, revista, rádio, webjornalismo e mídias alternativas, além de assessorias político-empresariais. CONTATOS: herzogcarlos@gmail.com

segunda-feira, outubro 30, 2006

COLUNA DO HERZOG (Primeira Edição)

Apenas uma amizade colorida

Não é preciso muito esforço argumentativo para se fazer uma afirmação, segura, quanto às eleições deste ano no RN: a aliança Alves/Maias-PMDB-PFL não passou de “amizade colorida”.

Os números elouquentes das urnas indicando que o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) da Vontade Popular só conseguiu vencer em pouco mais de 50 dos 167 municípios do RN, mostram como é difícil juntar “azeite e óleo”. Quem previu isso antes da união foi o seu vice, deputado federal Ney Lopes (PFL), mas que topou endossar com seu próprio nome a anomalia químico-política.

Desde o começo que essa “joint-venture” política ganhou ares de negócio espúrio, arrumado ocasional, onde os interesses populares eram tratados – na prática – como componente menor. As urnas mandam diversos recados (inclusive aos vencedores).

Muitos signatários desse acordão foram punidos com a exclusão de mandatos, outros escaparam por pouco e lideranças de Alves e Maias têm motivos para forte dor de cabeça. Na ânsia de sepultarem um problema comum, Wilma, esqueceram de chamar para a aliança, a outra parte do eixo: o povo. Eis a questão.

PRIMEIRA PÁGINA

PÊNDULO – A mão do coronelismo continua fortíssima nas eleições deste país. Um exemplo patente, entre vários outros, a gente conta sobre Água Nova no Oeste: a prefeita Iliene Freitas apoiou Garibaldi Filho no primeiro turno e voltou para Wilma de Faria no segundo. Seu movimento pendular puxou para um lado e para outro vitória retumbante para Garibaldi no primeiro turno e Wilma no segundo. Agora no segundo turno, Wilma obteve 1.412 (89,03%) votos contra irrisórios 174 votos (10,97%) do adversário. No primeiro turno foi ao contrário: Garibaldi conseguiu 1.095 (68,95%) votos e Wilma apenas 486 (30,60%).

BLOGS – Se algo efetivamente funcionou na campanha e eleições deste ano no RN foi a onda “blog”. Da capital ao interior, nomes do jornalismo como Thaísa Galvão, Oliveira Wanderley, Josenildo Carlos, Marcos Dantas, Aclecivam Soares, Diógenes Dantas e outros tantos focalizaram, cada um com seu estilo, bastidores e fatos de superfície da disputa pelo voto. Cá para mim: nada mais será como antes no jornalismo político. Anote. Praticamente tudo nasceu, em termos de notícia e comentário, nesta infovia, contribuindo ao debate, à crítica e à autocrítica. Parabéns!

PESO – No mercado persa que se formou na campanha do segundo turno no Rio Grande do Norte, com deputados, suplentes, prefeitos e outras figuras dessa fauna mudando de um lado para o outro, indo e voltando, deu para constatar algo: as lideranças localistas, nos rincões, nas bases municipais, têm muito mais controle e poder de transferência de votos do que gente graúda. Compreensível. Já tínhamos escrito sobre o assunto no curso da campanha. Esses líderes conhecem as pessoas pelo nome, familiares e estão diariamente em seu chão. O deputado é eleito com votos em dezenas de municípios e muitas vezes apenas tem a intermediação desses apoios.

LONGE – Muitos tentam decifrar o aumento nas abstenções no segundo turno. Claro que isso exige um estudo mais aprofundado e científico, mas é óbvio que há sinalizadores claros. A onda de pesquisas dando ampla vantagem (que não se confirmou) para Wilma de Faria, arrefeceu o ânimo da militância e líderes. Houve Considerável desinteresse das lideranças na mobilização e transporte de eleitores. No primeiro turno, disputa acirrada pelo voto, aconteceu registro de 311.232 (14,81%) de abstenções. Agora foram 351.506 (16,73%).

GERAIS

- Quem quiser os números integrais das eleições, é só acessar este endereço: http://placar.eleicoes.uol.com.br/2006/rn/index.jhtm.
- No curso deste dias e dos próximos, continuaremos postando na coluna e em matérias avulsas, enfoques sobre as eleições 2006. O tema é inesgotável.
- Obrigado à leitura deste Blog a Joãozinho Marques (Nassau), além dos ex-juízes de Direito Francisco Pinto e Assis Amorim.

SÓ PRA CONTRARIAR

Ninguém se desespere pela derrota. Daqui a quatro anos tem mais. E quem venceu se cuide: tudo passa.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial