CARLOS SANTOS ON LINE

Blog jornalístico editado e postado no Rio Grande do Norte (Brasil)

Minha foto
Nome:
Local: Mossoró, RN, Brazil

Jornalista, atuando profissionalmente há mais de 21 anos, com experiência em jornal impresso, TV, revista, rádio, webjornalismo e mídias alternativas, além de assessorias político-empresariais. CONTATOS: herzogcarlos@gmail.com

terça-feira, novembro 07, 2006

COLUNA DO HERZOG (Primeira Edição)

Blocos de sujos e mal lavados

A webleitora Maria do Socorro Alves faz questionamento indignado, que serve de gancho para nosso artigo:

- Caro jornalista, quero lhe pedir que me responda a seguinte questão: qual a diferença entre o Pálio (de Rosalba Ciarlini-PFL) e o negócio, via deputada federal Sandra Rosado (PSB), entre Wilma de Faria (PSB) e o prefeito de Serra do Mel (Izete Bezerra). Seria o modus operandi? Por que a imprensa não fala nisso? Acham que é normal?

Pelo que é fácil perceber, a webleitora interpreta que a adesão do prefeito de Serra do Mel no segundo turno eleitoral, pró-Wilma, deixando Garibaldi Filho (PMDB), ocorreu envolta em 'agrado' embutido: compra de apoio. Aí, se configuraria similitude com o que é representado judicialmente em relação à senadora eleita Rosalba Ciarlini.

A ex-prefeita de Mossoró é acusada por utilizar um carro Pálio usado, para cooptar o ex-candidato a prefeito de Felipe Guerra Francisco Canindé, o “Chicão”.

Expostos os elementos principais desse enredo, eis minha opinião, como solicitado:

Como ocorre regularmente em vários duelos em tribunais, a vertente de defesa de muitos que são flagrados em delito, é levantar a tese do “eu não estou só”. Em vez de se explicar e esclarecer, provando não possuir envolvimento com o que lhe é imputado, o arrazoado parte para a onda “tem mais gente errando”.

Há quase dois anos, em entrevista na França, o presidente Lula chegou a afirmar que o “Caixa 2 era normal”. Não era quando ele e o PT faziam oposição ostensiva.

Durante a campanha deste ano no RN, o deputado estadual Getúlio Rego (PFL) declarou que “nunca vi uma campanha tão corrupta como esta”. Mas não apontou um único caso de corrupção.

A própria imprensa, através de linguagem cifrada, com o chavão “mil motivos”, insinuava que praticamente toda adesão seria bancada pela pecúnia, em vez de movida por princípios políticos e interesses públicos. Mesmo assim, não se abriu um único processo de investigação para apurar o noticiado.

O que esses relatos revelam, acima de tudo, é a existência de um ambiente pantanoso, onde poucos podem ostentar boa condição de assepsia. Por isso, que o comum é o silêncio cúmplice ou a isonomia de podridões, como se tudo justificasse tamanho atentado à ética e à moral.

Não acho que a senadora eleita esteja envolvida – ou não - em delito eleitoral. Há um fato, transformado em demanda judicial, ao contrário do episódio da migração do prefeito da Serra do Mel. A grande diferença, por enquanto, entre ambos, é esta.

Entretanto, o que pode separar político e político, os bem-intencionados dos delinqüentes, é a consciência social com o pleno discernimento do eleitor. Só há corrupto, por instrumentalização do corruptor. Ninguém é inocente num ambiente de cortiço como este. Mas quem paga a conta somos nós, em qualquer episódio em que estão envolvidos sujos e mal lavados.

PRIMEIRA PÁGINA

DISTÂNCIA – Algo que pouca gente atentou até agora, é a situação do deputado federal Henrique Alves (PMDB). Apesar de ostentar com louvor a décima vitória consecutiva à Câmara Federal, viu-se distanciado ainda mais do sonho de ocupar a cadeira de governador do Estado, lugar do seu pai – já falecido – Aluízio Alves – no início dos anos 60. A derrota do primo Garibaldi Filho (PMDB) ao governo, praticamente o alijou da contenda em 2010. E novamente, o seu carrasco foi Wilma de Faria. Ela o derrotada diretamente em 1988 – à Prefeitura de Natal - e através do seu candidato, o engenheiro sanitarista Aldo Tinoco, em 1992. Natal seria o trampolim para Henrique chegar ao Estado.

LOTEAMENTO – Impressiona acompanhar em vários setores da imprensa, de entrevistas a especulações, o esquadrinhamento do governo estadual a partir de 2007. Parece que ainda não conhecem o estilo Wilma de Administrar. Ela, somente ela, governa e estabelece pontos de gestão e ocupação de espaço. Certamente, quem estrebuchar mais, levará menos. Aguardemos, pois.

SEM APETITE – Derrotado na tentativa do seu quarto mandato como deputado federal este ano, o professor Betinho Rosado (PFL) não revela em conversa com amigos, apetite para ser candidato a prefeito em 2008. A própria atividade parlamentar não o vinha empolgando, não obstante trabalho louvável. Betinho adotou o mergulho como caminho para se refazer do resultado. Por enquanto, as prioridades serão a família, sua paixão pelo papel de criador no campo e a docência. Mas a política está no sangue, isso ninguém duvida.

NO BATENTE – Desde a manhã de hoje que a governadora Wilma de Faria cumpre agenda de trabalho, após o pequeno descanso de alguns dias em Salvador (BA). Ela despacha durante o dia com secretários e outros auxiliares. Ainda esta semana deverá viajar a Brasília para reunião com outros governadores, diante do presidente Lula.

GERAIS

- Hoje é dia de Machadão novamente cheio. América e Avaí. Mais um passo para o vermelho avançar para a Série A do Campeonato Brasileiro no próximo ano.
- Obrigado à leitura deste Blog à jornalista Regina Cunha (diretora da TV Cabo Mossoró), Franklin Rolim (Rolim Engenharia) e José Couto (Marítima Petróleo).

SÓ PRA CONTRARIAR

O exército de ocupação, no poder, nem sempre é o que atuou no combate em campanha. Anote.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial